O preço dos combustíveis pode cair no Brasil?

O preço dos combustíveis pode cair no Brasil?
agosto 09 09:54 2018

Nos últimos meses, o questionamento que eu tenho escutado com maior frequência é: o preço do combustível vai cair ou não no Brasil?
Com as sucessivas oscilações de preço da gasolina e do diesel verificadas nos postos de combustíveis em todo o país, culminando na greve dos caminhoneiros, que gerou graves reflexos na economia brasileira, deixa clara a emergência do debate.
Até a última semana de junho, quando questionado a respeito da redução de preço, eu sempre respondia que “NÃO! O preço do combustível no país não tem previsão de queda”. Mas, a partir de julho, o mercado mundial de petróleo deu sinais de que “pode haver SIM uma redução no valor dos combustíveis no Brasil”.
O cenário tem se configurado positivo porque o preço do petróleo vem apresentando sucessivas quedas no mercado internacional, desde que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) expandiu a produção em diversos campos de extração, principalmente na Arábia Saudita e na Rússia.
Mesmo com a iminente guerra comercial entre os Estados Unidos e os países da Ásia, em especial a China, o índice de referência global, Brent, apresenta oscilação no preço da commodity, apontando para uma perspectiva de baixa nos contratos futuros.
Com esse cenário, o mercado internacional espera uma expansão significativa da oferta de petróleo no curto prazo. Ou seja, há uma expectativa gigantesca de que a produção de barris de petróleo possa se expandir a tal ponto nos próximos meses, que reduza o preço da commodity no mercado global.
Mas será que esse processo de expansão da produção internacional de petróleo pode reduzir o preço da gasolina no Brasil? De fato, há uma enorme probabilidade de que os preços da gasolina e do diesel caiam no país, já que boa parte do combustível consumido internamente é importada.
No entanto, para que isso ocorra, são necessárias duas situações:

  • A primeira é que a taxa de câmbio brasileira não se deprecie, ou seja, o Dólar não fique muito valorizado frente ao Real;
  • E segunda, é que a Petrobras repasse a redução dos preços internacionais para as refinarias, e consequentemente, reduzam os preços da gasolina e diesel nos postos, chegando até o consumidor final.
    Se isso vai acontecer, e quando vai acontecer, ninguém sabe. É esperar o desenrolar da economia internacional (principalmente do câmbio) para ver!
  Artigo "marcado" como:
  Categoria: