Alta no Ibovespa faz com que investimentos em renda variável sejam melhor negócio para 2019

Alta no Ibovespa faz com que investimentos em renda variável sejam melhor negócio para 2019
janeiro 29 14:00 2019

Com taxa de juros no patamar mais baixo da história, renda fixa, que sempre foi o investimento preferido do brasileiro, deixa de ser atrativa.

O Ibovespa próximo aos 100 mil pontos, marca histórica do índice que mede a pontuação da bolsa de valores do país, a B3, atraiu novos interessados pelo mercado financeiro. O número de investidores em renda variável é o que mais cresceu no início de 2019. O ano começou com mais de 100 mil investidores na bolsa de valores a mais do que em janeiro de 2018.

A B3 ainda engloba a bolsa de mercadorias, os futuros e o Cetip, uma instituição de custódia de títulos públicos e privados. Além de ações e futuros, também é possível comprar na B3 os BDRs, que são recibos de ações estrangeiras negociados aqui.

O número de novos investidores em renda variável mostra que, em tempo de juros baixos, os brasileiros têm buscado um tipo de investimento um pouco mais ousado atraídos pela melhor rentabilidade.

Isso porque analistas de mercado apontam que a renda fixa é um mau negócio para este ano, assim como foi em 2018. Principalmente pela expectativa em cima da taxa de juros de 2019, que deve se manter em patamares baixos.

Segundo a previsão do Boletim Focus do dia 21 de janeiro, a taxa Selic, medida que serve de parâmetro para as taxas de juros existentes na economia, terá alta de 7% este ano.

Acima da mínima histórica de 2018, 6,5%, porém que segue baixa, ou seja, um investimento em renda fixa traria retornos modestos.

Não à toa a Poupança em 2019 aparece como um dos investimentos menos recomendados por agentes do mercado, afinal o cálculo feito neste tipo de investimento, quando a taxa Selic está abaixo de 8,5%, é a soma de 70% do valor da Selic mais a taxa referencial.

A expectativa é de que a taxa referencial seja nula em 2019. O que deixaria o investimento em poupança, principalmente quando considerada a inflação do Brasil, com um retorno anual ainda menor.

Fonte: Assessoria

  Artigo "marcado" como:
  Categoria: