Embaixada de Negócios da Paraíba aponta medidas de enfrentamento ao coronavírus

Embaixada de Negócios da Paraíba aponta medidas de enfrentamento ao coronavírus
março 27 10:24 2020

A Embaixada de Negócios da Paraíba publicou uma carta com algumas sugestões e medidas de enfrentamento à crise da pandemia do coronavírus (Covid-19) para autoridades constituídas. A pandemia tem trazido enormes desafios e sacrifícios à população brasileira e a outros 150 países do mundo.

Diante da gravidade da atual situação de pandemia, a associação de empresários, que tem sede em João Pessoa, manifesta o seu compromisso com as medidas anunciadas pelas autoridades constituídas e pelas comunidades médicas e especialistas para o enfrentamento dessa guerra.

O documento enfoca medidas e ações para atuar em três frentes simultaneamente. A primeira é na emergência médica que a crise trouxe, quando criamos a vaquinha virtual para a compra de equipamentos e insumos para enfrentar ao coronavírus (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-a-paraiba-a-vencer-o-coronavirus). A segunda é na emergência socioeconômica, ao enviar sugestões práticas no socorro às empresas e a volta ao trabalho para a manutenção dos empregos; e a terceira no compartilhamento de conteúdo, por meio das lives e reuniões virtuais, junto aos associados e convidados.

Segundo o presidente da Embaixada de Negócios, Paulo Jr., a posição institucional da Embaixada de Negócios, com sugestões pensadas e validadas pela Diretoria em reunião virtual realizada nessa semana, já foram enviadas à Frente Parlamentar de Empreendedorismo da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba, mas também será enviada ao governador do Estado, João Azevêdo.

“Cientes dos sacrifícios impostos à nação, entendemos que as autoridades devem, em conjunto com a sociedade civil organizada, medidas justas para salvar vidas das pessoas físicas e das pessoas jurídicas, responsáveis por fazer girar a economia do nosso país”, apontou.

O executivo afirmou ainda que os “empresários estarão prontos a contribuir com a nação e, diante deste histórico e pesado desafio, necessitamos que os três poderes, em todas suas esferas de governo (Federal, Estadual e Municipal) atuem de maneira organizada e olhem de forma especial em socorro às empresas do país, em especial as mais de 17 milhões de micro e pequenas, representando mais de 70% dos empregos no país, com o foco principal de preservar os 46,6 milhões de empregos, segundo dados da RAIS de 2018”, lembrou.

Paulo Jr diz que “deve-se buscar o equilíbrio nas ações de combate, para que de forma segura, possamos voltar às operações cotidianas e, rapidamente, com a ajuda do Estado, reerguer nossas empresas de um tombo sem precedentes, uma vez que, em função de anos com recessão e tímido crescimento do país, já vínhamos sofrendo no limite da capacidade, com endividamento alto e, algumas, com dificuldades para obter crédito e vencer a burocracia”, completou.

A Embaixada de Negócios sugere quatro medidas que os governos poderiam adotar nesse momento:

  1. Facilitação para obtenção de crédito, preferencialmente sem juros, subsidiados pelo poder público, com 24 meses de carência e 20 anos para o pagamento, de forma a garantir o fluxo de caixa das empresas e manutenção dos empregos;
  2. Linha de crédito emergencial, a fundo perdido, com vistas à promoção da inovação e modernização das empresas;
  3. Diminuição dos tributos incidentes sobre energia elétrica, água, gás e telefonia, aliviando o custo fixo das pessoas físicas e jurídicas;
  4. Liberação de saque de até 60% do FGTS para todos os trabalhadores.

Live com Assembleia Legislativa – Na última quarta-feira, o presidente da Embaixada de Negócios participou de uma live com deputados estaduais da Frente Parlamentar do Empreendedorismo, transmitida pela TV Assembleia, YouTube e Facebook para falar sobre a crise econômica provocada pelo coronavírus. A reunião teve como norte apresentar sugestões aos poderes públicos para enfrentamento do problema.

O documento da Embaixada de Negócios encerra com uma palavra bíblica de encorajamento aos empresários, empreendedores e governos de que “com união de esforços, serenidade, fé e ação venceremos mais este desafio”. A passagem é a do livro bíblico de Josué. Ele estava assumindo uma grande missão do Senhor que era conduzir Israel a usufruir da promessa divina feita aos seus antepassados e isso incluía entrar na terra, derrotar os inimigos que ocupavam aquele território e se apossar da herança prometida por Deus. Diz a passagem: “Não fui eu que ordenei a você? Seja forte e corajoso! Não se apavore nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar” (Josué 1:9).

  Artigo "marcado" como:
  Categoria:
Escreva um comentário

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar um comentário.

Adicionar comentário